Enough of Sex (and the City) e outros

por llforbes



(Old news, mas alguém me explica a cafonice deste pôster e o look José Paulino da Carrie?)

Não vi “Sex and the City” e não pretendo ver “Sex and the City 2”. Eu gostava bastante da série, mas acho deprimente ver quatro senhôras fantasiadas de Willy Wonka, Dorothy, Jessica Rabbit e Ellen Degeneres discutindo temas adolescentes e tomando Cosmos. Mais deprimente que Sex and the City hoje, só mesmo Saia Justa, sempre.

E por falar em Jessica Rabbit, a Samantha e toda a sua escola Wolf Maia de interpretação é coadjuvante no novo filme do Polanski, “O Escritor Fantasma”. Assisti ao filme há algum tempo sem ler qualquer coisa sobre, e confesso que fiquei espantada com a crítica (muito) positiva. Tudo bem que tem todo esse lance “Polanski” (inserir sotaque Psico-PUC), com toda a questão “tadinho, será que ele vai ser extraditado, vamos queimar a bandeira dos Estados Unidos?”, e que o estereótipo do crítico de cinema tenha se sensibilizado, mas eu não gostei do filme. Achei as atuações mecânicas, fraquíssimas, sem exceção, e o fator “suspense” inexistente (dada hora, até tirei uma pestana…). Sim, a fotografia é linda. Mas parece que o Polanski não participou da montagem final, pois estava na prisão. Talvez tenha sido isso. Em geral, muito aquém de outros Polanskis como Chinatown e Lua de Fel.

Finalmente fui ver “Hanami –O Florir das Cerejeiras”. Pura poesia.

:-)

Laura