lauralawson

Magreza não tem preço

Este cartum da New Yorker de 20 de setembro traduz bem a resposta a uma pergunta que costumo fazer: Você, amiga, preferiria ser muito rica ou muito magra?
:-)
Laura

Corduroy

Hoje eu fui a uma feirinha de livros na escola do meu filho e, trinta anos depois, reencontrei o meu primeiríssimo livro favorito: Corduroy. Chorei copiosamente ao reler a saga de um ursinho em busca de uma vida mais feliz e um botão para o seu macacão verde.


Gravidez tem as suas vantagens — fortes emoções por apenas R$24,00.

:-)
Laura

A razão do meu sumiço, de novo


Queria dar uma pequena satisfação sobre o meu desaparecimento, ou o meu re-desaparecimento. Sumi, voltei brevemente, afirmei que jamais desistiria, e sumi de novo. Mas a inconsistência tem uma explicação plausível: -Digníssimos, estou grávida! E gravidez para mim é sinônimo de combustão espontânea de neurônios, encolhimento da Área de Wernicke, longas caminhadas vestindo conjuntinhos monocromáticos de plush, lágrimas em comercial do Pato Purific, descontrole no trânsito, descontole ponto. Com sorte a normalidade será restabelecida transcorridos os nove meses. Pelo menos foi assim da primeira vez. Até lá, é mais provável que vocês me encontrem aqui.

:-)

Laura

A origem do universo


Não sei por que cosmólogos e cientistas em geral insistem em entender a origem do universo, o big bang, supernovas e gigantes vermelhas, se Mark Twain explicou tudo tão perfeitamente, a tanto tempo atrás.

“We had the Sky, up there, all speckled with stars, and we used to lay on our backs and look up at them, and discuss whether they was made, or only just happened –Jim he allowed they was made, but I allowed they happened; I judged it would have took too long to make so many. Jim said the moon could a laid them; well, that looked kind of reasonable, so I didn’t say nothing against it, because I’ve seen a frog lay most as many, so of course it could be done. We used to watch the stars that fell, too, and see them streak down. Jim allowed they’d got spoiled and was hove out of the nest.” (Adventures of Huckleberry Finn, capítulo XIX)

:-)

Laura

Forester’s Child

“Forester’s Child, 1931” por August Sander (publicada na New Yorker de 26 de julho)


:-)

Laura

Bagel à la Vidas Secas





Dona Benta devia estar numa vibe altamente Vidas Secas quando resolveu adaptar a tradicional receita de bagel novaiorquino e a transformou em um semi-pirão assado. De qualquer forma, a receita funciona, é bem gostosa e, principalmente, facílima de fazer. Mas se você é um purista chatinho, clique aqui antes de me criticar. :-)

Ingredientes

3 colheres de chá de açúcar

2 e ½ xícaras de chá de farinha de trigo

20g de fermento biológico

1 ovo levemente batido

¾ de xícara de chá de água morna

1 colher de chá de sal

sementes de papoula ou sal grosso

Preparo

Coloque o fermento para desmanchar na água morna. Em uma tigela, despeje uma xícara de farinha de trigo, o sal e o açúcar. Misture bem e acrescente a água com o fermento. Misture até obter uma pasta uniforme. Acrescente a farinha restante. Trabalhe a massa por 10 minutos. Coloque a massa em uma tigela, cubra com um pano e deixe descansar por cerca de ½ hora. Trabalhe a massa novamente por mais cinco minutos e divida-a em 6 partes iguais. Faça uma bolinha com cada parte. Com o dedo, faça um furo no meio da bolinha e vá alargando-o para fazer uma rosquinha com cerca de 15 cm de diâmetro por 1 e ½ espessura. Coloque dois litros de água para ferver com uma colher de chá de açúcar e ferva os bagels 2 a 2 por cerca de 7 minutos. Escorra e coloque em uma assadeira não untada, pincele com ovo e salpique com papoula ou sal grosso. Leve ao forno médio por cerca de 25 minutos até que estejam bem dourados.

Este blog está de volta.

:-)

Laura

Estou apaixonada por um Juicerator

(ou St. Elmo’s Fire)

Estou apaixonada por um Juicerator.
Não sofri com a eliminação da Seleção.
Hoje fiz ginástica ao som de Marvin Gaye.
E vou comprar um Corolla prata. Ou preto.

:-)

Laura

Delusions of Grandeur

Ha. Queria agradecer ao Lula a grande gargalhada proporcionada esta manhã. O messias de Caetés diz que pretende assumir um posto no exterior “[para] criar um mundo multilateral e multipolar, livre da fome e da pobreza”. Fico imaginando qual embaixada ele poderia assumir, dada a questã da monoglotia. Cabo Verde? Guiné Bissau? São Tomé e Príncipe? Outra opção seria o casal Da Silva abraçar para valer a causa “Irã” (meu mindinho pela Marisa Letícia de Burka), ou ainda pleitear um asponato com o cumpadi Chavez.

:-)

Laura

Gêmeos univitelinos na Copa

Esqueleto e Valdívia

Buzz Lightyear e Julio Cesar (via @lparreiras)
:-)

Laura

Escola Rickson Gracie de Melhores Práticas Corporativas


Diálogo que escutei hoje de rabo de ouvido na academia, ipsis verbis:

Boy-mano: -O jiu jitsu te ensina a usar a força do adversário contra ele mesmo.

Regular dude: -É mesmo?

Boy-mano: -E o jiu jitsu te ensina a levar este ensinamento para a vida real. Tipo água mole em pedra dura tanto bate até que fura.

Regular dude: -Am.

Boy-mano: -Por exemplo, se você é uma empresa pequena e está negociando com uma empresa grande, você precisa usar a força da empresa grande para ganhar dinheiro em cima dos caras. Eu sei que é complicado, mas rola.

Regular dude: -Que?

:-)

Laura